to top

Escolhendo a Escola

Olá meus amores, tudo bem?

No inicio do ano vi várias postagens de mamães que resolveram colocar as crianças na escola, crianças de 1, 2 e 3 anos de idade. Eu não via necessidade na época de colocar a Malu, pretendia a colocar só com 3 anos (2017), mas agora que estamos chegando perto do meio do ano, a minha opinião e necessidades mudaram.

Mesmo eu fazendo bastante atividades com a Malu, sinto que não estão sendo o suficiente, ela precisa ter contato com outras crianças e vive pedindo isso.

Toda vez que o irmão vai para escola, ela berra pedindo para ir também. Pode ser por sentir a falta do irmão, mas acredito que seja mais a necessidade de aprender mais, de conhecer novas crianças e descobrir novos horizontes.

Eu como mãe e amando ficar com ela em casa, não posso ser egoísta e tenho que fazer o que o coração está dizendo.

Estou decidida a colocar esse ano na escola, isso é, se a escola que eu escolher aceitar a entrada no meio do ano. Sim, a escola que eu escolher, porque ainda não escolhi.

São tantas escolas ótimas no RJ, que fico na indecisão de qual escolher, qual o método que eu quero seguir com ela?

Muitas dúvidas e venho lendo bastante sobre cada método, cada escola. E de como eu acho que a minha filha vai se sentir em cada escola que está na minha lista.

Na época que o Gabriel começou a estudar, eu achava que só existia um método de ensino, o tradicional, mas me enganei muito.

E vocês?  Sabem de todos os métodos existentes?

TRADICIONAL

É a abordagem predominante no país e por isso mesmo a mais conhecida dos pais. Nas escolas tradicionais, o foco está no professor, que detém conhecimentos e repassa ao aluno. O estudante tem metas a cumprir dentro de determinados prazos, que são verificadas por meio de avaliações periódicas. Quem não atinge a nota mínima necessária no conjunto de avaliações ao longo do ano que está cursando é reprovado e tem de refazê-lo.

É comum que essas escolas usem apostilas e cartilhas, que estabelecem o quanto a criança deve aprender em cada ano. É uma filosofia que valoriza a quantidade de conteúdo ensinada.

CONSTRUTIVISTA

Nas instituições que seguem os princípios construtivistas, o conhecimento é ativamente construído pelo sujeito e não passivamente recebido do professor ou do ambiente. Cada estudante é visto como alguém com um tempo único de aprendizado e o trabalho em grupo é valorizado. Nas escolas construtivistas, são criadas situações em que o estudante é estimulado a pensar e a solucionar problemas propostos. Também há provas e reprovação nessas instituições.

MONTESSORIANO

Na escola Montessoriana, baseada na filosofia da pesquisadora italiana Maria Montessori, a criança deve buscar sua autoformação e construção e os adultos têm de ajudá-la nesse processo, favorecendo o desenvolvimento de indivíduos criativos, independentes, confiantes e com iniciativa. Segundo o método Montessori, é agindo que o aluno adquire conhecimentos. As crianças escolhem as atividades que querem fazer. Ao adulto cabe ordenar o trabalho com gradação de dificuldade crescente, respeitando o ritmo de cada aprendiz e sem intervenções indevidas. As classes têm crianças de idades diferentes. Incentiva-se o trabalho em grupo e todos os estudantes são estimulados da mesma maneira.

WALDORF

Na metodologia de ensino waldorf, desenvolvida pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner, procura-se equilibrar os aspectos cognitivos (capacidade de aquisição de conhecimento) com o desenvolvimento de habilidades artísticas, musicais, de movimentação e de dramatização. Considera-se cada aluno como um ser único, que é acompanhado de forma próxima. São aplicados testes e provas em algumas matérias, especialmente no ensino médio, e, em alguns casos, nas últimas séries do ensino fundamental. Mas a avaliação do aluno também engloba a execução de trabalhos, o grau de dificuldade que o estudante tem com o assunto, o empenho em aprender e o comportamento. Os pais recebem avaliações trimestrais com a descrição da atitude de seus filhos diante das tarefas solicitadas no período.

O professor permanece com a mesma turma por toda uma etapa (por exemplo, os nove anos do ensino fundamental). No ensino fundamental, o currículo inclui astronomia, meteorologia, jardinagem, artes e trabalhos manuais, como tricô e crochê, além das disciplinas exigidas pela Lei de Diretrizes e Bases (legislação que regulamenta o sistema educacional do Brasil). No ensino médio, há currículos integrados de humanidades (história, geografia, literatura), de ciências (física, biologia, química, geologia, matemática), de artes e ofícios (com modalidades como tecelagem e encadernação), artes dramáticas, educação física e línguas estrangeiras.

FREINET

Outro pensador que costuma nortear o trabalho de algumas escolas é o pedagogo francês Célestin Freinet, mas sem dar nome exatamente a uma linha pedagógica. Nas instituições que colocam em prática conceitos de Freinet, o aprendizado acontece por meio do trabalho e da cooperação. Nesse tipo de escola, a criança é incentivada a compartilhar suas produções com os colegas, sejam eles de sua classe, de outras ou de escolas diferentes. As avaliações levam em conta o progresso do aluno em comparação ao seu desempenho anterior e não em relação com os demais. Estudos de campo (aulas em que os estudantes são levados em algum lugar específico para aprender determinada matéria, como um parque, por exemplo), elaboração de jornais em grupo e debates são atividades comuns em escolas que se identificam com o pensamento de Freinet, que valoriza o desenvolvimento da capacidade de análise pelos estudantes.

jardim-de-infancia

É muito importante a escolha da escola, o método tem que ser de acordo com o que você passa em casa, de acordo com a criação.

Não adianta voce deixar a criança fazer tudo em casa, sem regras, sem horários e a colocar em uma escola construtiva por exemplo. A escola é a continuidade do que você passa em casa, então atenção na escolha, pois junto com os pais, a escola vai ajudar na formação da criança.   

image11-150x150

Facebook Comments

Lely Schmidt

  • laiz

    Eu tive muita dificuldade de arrumar uma escola que nao fosse no metodo tradicional. pelo menos aqui em salvador quase nao tem, espero que vc tenha sorte e que a malu ame a escolinha. bjs

    15 de julho de 2016 at 13:12 Responder
  • Roberta Luz

    lely, qual o metodo de ensino que vc esta procurando?

    15 de julho de 2016 at 13:13 Responder
  • Diana

    ela vai estudar na mesma escola que o biel?

    15 de julho de 2016 at 13:13 Responder

Leave a Comment